Filhos, por que a nossa Páscoa precisa ser diferente?

Porque somos seguidores de Jesus Cristo e dos Seus evangelhos. E a Páscoa para nós é a celebração mais importante de todas. Do hebraico Pessach, significa Passagem ou Passar por cima.

Crianças na celebração da Páscoa na nossa Igreja, 2014.

Crianças na celebração da Páscoa na nossa Igreja, 2014.

Antes de Jesus Cristo vir ao mundo, o antigo povo (hebreu) do nosso Deus já comemorava a Páscoa, pois se festejava a sua liberdade da escravidão do Egito, que durou cerca de 400 anos. Uma grande peleja liderada por Moisés que terminou em vitória. Motivo de festa, gratidão e obediência a Deus, a Páscoa se tornou um estatuto perpétuo (Êxodo 12:24).

A Bíblia relata que o próprio Jesus, desde criança, participou de várias celebrações pascoais (Lucas 2:41-42), e até próximo a sua morte, na “Última Ceia”, a Páscoa lhe foi importante, onde com os discípulos ele participou da comunhão do corpo e do sangue, simbolizados pelo pão e pelo vinho. Também conforme relatos bíblicos, foi propósito do PAI que o seu filho Jesus fosse crucificado durante as festividades da Páscoa, e Jesus sabia disto quando disse “daqui a dois dias é a Páscoa e o Filho do Homem será entregue para ser crucificado”. (Mateus 26:2).

Vejam, filhos, como foi linda a última Páscoa de Jesus, aqui entre nós:

“Chegou, porém, o dia dos ázimos, em que importava sacrificar a páscoa. E (Jesus) mandou a Pedro e a João, dizendo: Ide, preparai-nos a páscoa, para que a comamos. E eles lhe perguntaram: Onde queres que a preparemos? E ele (Jesus) lhes disse: Eis que, quando entrardes na cidade, encontrareis um homem, levando um cântaro de água; segui-o até à casa em que ele entrar. E direis ao pai de família da casa: O Mestre te diz: Onde está o aposento em que hei de comer a páscoa com os meus discípulos? Então ele vos mostrará um grande cenáculo mobilado; aí fazei preparativos. E, indo eles, acharam como lhes havia sido dito; e prepararam a páscoa. E, chegada a hora, pôs-se Jesus à mesa com os doze apóstolos. E disse-lhes: Desejei muito comer convosco esta páscoa, antes que padeça; Porque vos digo que não a comerei mais até que ela se cumpra no reino de Deus. E, tomando o cálice, e havendo dado graças, disse: Tomai-o, e reparti-o entre vós; Porque vos digo que já não beberei do fruto da vide, até que venha o reino de Deus. E, tomando o pão, e havendo dado graças, partiu-o, e deu-lhes, dizendo: Isto é o meu corpo, que por vós é dado; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente, tomou o cálice, depois da ceia, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue, que é derramado por vós.” (Lucas 22:7-20).

Jesus, por Jim Caviezel - A Paixão de Cristo.

Jesus, por Jim Caviezel – A Paixão de Cristo.

E como era de costume sacrificar cordeiros para expiação dos pecados durante a páscoa, Jesus foi “o Cordeiro de Deus”, como disse João 1:36, o nosso cordeiro pascoal, que morreu para nos purificar os pecados e assim podermos ressuscitar como Ele ressuscitou, para a vida eterna. “Porque Cristo, nossa Páscoa, foi sacrificado por nós” (1 Coríntios 5:7).

É por isso, filhos, que é comum celebrarmos como Jesus celebrou e também relembrarmos a sua trajetória, com penitências como jejuns, vigílias, peregrinações, orações e reflexões tanto nos 40 dias antes da semana da Páscoa – que também nos remete aos 40 dias passados por Jesus no deserto –, quanto durante a Páscoa, pelo que ele suportou na cruz. É comum comermos peixe e termos refeições simples, lembrando a simplicidade de Jesus. É comum a celebração do chamado Domingo de Ramos, que lembra a entrada de Jesus em Jerusalém – ocasião em que as pessoas cobriam a estrada com folhas da palmeira, para comemorar sua chegada. Outras maneiras de celebração é lavarmos os pés dos nossos irmãos, gesto lindo de amor que Jesus nos ensinou lavando os pés dos seus discípulos, e a encenação dos seus passos carregando a cruz até o calvário. Na Sexta Feira Santa lembramos a morte de Jesus, no sábado é comum a vigília em alusão ao corpo de Jesus na sepultura, e no Domingo de Páscoa celebramos a Ressurreição de Jesus e sua primeira aparição entre seus discípulos. Uma grande peleja que terminou em vitória, vitória para todos nós!

Ressurreição de Jesus Cristo - do Filme A Paixão de Cristo.

Ressurreição de Jesus Cristo – do Filme A Paixão de Cristo.

Agora vocês podem perguntar: e os ovos de chocolate com os coelhinhos, aonde entram?

Não entram, meus amores, não entram na nossa tão sublime celebração de Páscoa. O que ocorre é que uma tradição que não está na Bíblia foi infiltrada e absorvida até por muitos que seguem a Cristo. Mas acreditem, muitos fazem isso porque não sabem que “Ostara, também conhecida como Eostre (Deusa Anglo-Saxã, que significa Deusa da Aurora) ou Easter (Pascoa, em inglês), pois a pascoa no hemisfério norte é realizada nesta época, são deusas da primavera, da ressurreição e renascimento e tem como símbolo o coelho. Uma das principais tradições desse festival é a decoração de ovos. O ovo representa a fertilidade da Deusa e do Deus. Outra tradição muito antiga é a de esconder os ovos e depois achá-los. (Talvez veio daí o costume dos Norte-americanos de esconderem os ovos de chocolate no dia da Páscoa para que as crianças os achem). Mesmo os não wiccans (ciganos) sentem-se diferentes neste período, mais dispostos, comem menos, dormem menos e acordam mais cedo. Para os wiccanos (ciganos) também é época de começar a plantar, época do amor, de promessas e de decisões, pois a Terra e a natureza despertam para uma nova vida.” (http://pt.wikipedia.org/wiki/Ostara). Mais aqui: http://pt.wikipedia.org/wiki/Eostre.

Ostera (ou Eostre) - Imagens da Internet.

Ostera (ou Eostre) – Imagens da Internet.

Sendo assim, “Ostera (ou Ostara) é a Deusa da Primavera, que segura um ovo em sua mão e observa um coelho, símbolo da fertilidade, pulando alegremente em redor de seus pés nus. A deusa e o ovo que carrega são símbolos da chegada de uma nova vida. Ostara equivale, na mitologia grega, a Persephone. Na mitologia romana, é Ceres.” (http://olharcristao.blogspot.com.br/2008/03/pascoa-paga.html). 

Por isso, filhos, não sejam confundidos nem se deixem confundir. Ate as palavras do nosso PAI aos seus corações para que vocês não se percam. Busquem as respostas na Bíblia, que é luz para os nossos caminhos.

Oração: Pai, diante de tantas coisas confusas que esse mundo traz, diante dos tantos meios de apagar o Teu amor, o Teu sacrifício, o sacrifício tremendo de Jesus, eu me entristeço, me envergonho e Te peço perdão por nossas confusões. Não sabemos o que fazemos, e fica difícil Te seguir quando o inimigo tenta de todas as maneiras, apagar as Suas marcas, as Suas pegadas. Somente a Tua Palavra é a luz para o nosso Caminho. Nos ajude a busca-la. Ajude aos nossos filhos a não serem confundidos, a não se desviarem do Teu caminho, e que eles ajudem aos outros a Te conhecer melhor.

Anúncios

Vou ficar muito feliz com o seu comentário. Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s